Ministros do STF aprovam reajuste do próprio salário

Os ministros do STF estão discutindo hoje, em sessão administrativa, se incluem reajuste de 16% em seus vencimentos na proposta orçamentária de 2019.

Já se formou maioria para aprovar a proposta. Votaram para inserir o aumento Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Luiz Fux.

Cármen Lúcia, Celso de Mello e Rosa Weber votaram contra a previsão de reajuste na proposta orçamentária –ainda faltam Edson Fachin e Alexandre de Moraes.

Toffoli justificou seu voto dizendo que os projetos no Congresso tentam repor perdas de 2009 e 2014. “Não estamos [nem] sequer falando das perdas de 2015.”

O futuro presidente da corte alegou ainda que se está “cortando no STF”. “Não se está tirando de saúde, educação, estamos tirando dos nossos custeios.”

Teto do funcionalismo público, o salário de um ministro do Supremo está hoje em R$ 33,7 mil. Com o reajuste, poderá ir para R$ 39,3 mil.

Expresso CE - Interna Inner