Ceará tem menor diferença do Brasil no aprendizado entre crianças mais pobres e mais ricas

Apesar de destaque na aprendizagem em matemática e português nos anos iniciais da educação básica, o conhecimento adquirido no Ensino Médio ainda é o principal desafio para o Estado

Ceará tem menor diferença do Brasil no aprendizado entre crianças mais pobres e mais ricas

Foto: Reprodução / Secretaria de Educação de Fortaleza

A diferença do nível de aprendizagem entre estudantes de nível socioeconômico mais baixo e mais alto do Ceará é a menor do país entre os alunos do 5° ano do Ensino Fundamental. De acordo com o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), a educação pública do Estado do Ceará avançou em todas as etapas do ensino básico avaliadas. Os resultados apresentados pelo Ministério da Educação(MEC), na manhã desta quarta-feira, 30, apresentam o 5° e o 9° ano do ensino fundamental entre os melhores desempenhos do país, mas expõe deficiências no Ensino Médio cearense, que ficou abaixo da média Nacional.

Sobre a menor diferença de média entre mais pobres e mais ricos do Brasil, Rogers Mendes, secretário da Educação do Estado, ressalta o papel da escola ao romper com a interferência das disparidades socioeconômicas no aprendizado. "As questões socioeconômicas dos estudantes são fatores que não determinam, mas interferem. A escola precisa ser estruturada para que não reflita". De acordo com ele, o resultado obtido nas avaliações de português e matemática do 5° ano foi possível graças à consolidação de práticas pedagógicas mais estruturadas, com mais tempo direcionado a aprendizagem.


5° ano

Os estudantes do 5° ano do Ceará tiveram a maior proficiência em língua portuguesa do Norte/Nordeste. A média alcançada pelos avaliados foi de 220.7, ficando acima da média nacional, que alcançou 215 pontos. Em relação aos resultados obtidos em 2015, o Estado avançou 8,6 pontos na avaliação, enquanto o Brasil progrediu 7.

Quanto aos resultados obtidos na avaliação de matemática, no Brasil, em média, os estudantes do 5° ano alcançaram 220 pontos. Enquanto no Ceará, a média alcançada foi de 227,8, isso representa um avanço de 6,9 pontos desde 2015, quando foi realizado a última avaliação do saeb; tendo o Brasil agregado nesta edição 5 pontos.

Do ponto de vista das diferenças de aprendizagem entre estudantes de Nível Socioeconômico mais baixo e mais alto, o Estado do Ceará é o que apresenta a menor diferença, ao passo que o Estado do Amazonas apresenta a maior diferença de aprendizagem.

Diferença entre aprendizagem de alunos mais pobres e mais ricos no 5° ano

Língua portuguesa

Ceará
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 227
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 216
Diferença: 11 pontos
Brasil
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 238
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 183
Diferença: 55 pontos

Matemática no 5° ano
Ceará
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 233
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 229
Diferença: 4 pontos
Brasil
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 249
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 194
Diferença: 55 pontos

Sobre os dados na primeira etapa do ensino fundamental, Rogers destaca o trabalho desenvolvido na educação do Estado desde 2007 juntos as cidades cearenses. "O Estado entendeu, mesmo não sendo diretamente responsável, que tem uma função importante de cooperar técnico-financeiramente com os municípios, para consolidar a alfabetização das crianças na idade certa", justificou.


9° ano

Quanto à 9ª série, último ano do ensino fundamental, mais da metade está no nível considerado insuficiente. No geral, os estudantes brasileiros atingiram, em média, 258 pontos na avaliação. No Ceará, a média dos estudantes é 6,4 pontos acima da nacional, com 264,4 pontos. Em relação a edição de 2015, o Estado cresceu 8,7 pontos. Alagoas foi o estado que mais avançou no ensino da língua portugues no ano final do ensino fundamental, com 12,3 pontos.

Apesar de o Ceará está acima da pontuação nacional em matemática, a diferença entre a média dos estudantes de 9° ano do Brasil e a dos cearenses é pouca. O Ceará alcançou 261 pontos, em média, enquanto nacionalmente a nota obtida foi 258. A aprendizagem em matemática no Ceará agregou 4,7 pontos desde a última avaliação, em 2015; intervalo em que o Brasil subiu apenas 2 pontos.

Quanto às diferenças de aprendizagem entre estudantes de Nível Socioeconômico mais baixo e mais alto, o Ceará é o que apresenta a menor diferença entre os estados brasileiros.

Diferença entre aprendizagem de alunos mais pobres e mais ricos no 5° ano


Língua portuguesa:

Ceará
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 273
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 255
Diferença: 18 pontos
Brasil
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 279
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 235
Diferença: 44 pontos

Matemática no 9° ano
Ceará
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 269
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 255
Diferença: 14
Brasil
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 284
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 234
Diferença: 50

3° ano do Ensino Médio

Assim como os outros níveis de educação, o Ensino Médio cearense apresentou avanço em relação aos dados da última avaliação realizada em 2015. No entanto, o nível alcançado pelos estudantes cearenses ainda está longe de alcançar o básico, além de estar menor que a média nacional. Em relação os resultados da língua portuguesa e de matemática, os estudantes brasileiros, em média, estão no nível 2 de aprendizagem, considerado insuficiente, mesmo patamar que os cearenses, que conseguiram média inferior.

A média do resultado obtido em português pelos estudantes cearenses foi de 265,9 pontos, inferior à obtida nacionalmente(268), tendo cerca de 70% dos alunos conhecimento insuficiente frente ao exigido. Apesar disso, o Ceará obteve a maior progressão de aprendizagem em português do Brasil, com 9,3 pontos desde a última edição da avaliação.

Quanto à aprendizagem em matemática, 75% dos estudantes cearenses têm conhecimento considerado insuficiente para a disciplina. O Estado também ficou abaixo da média do País, 267,1 contra 270. A progressão na disciplina foi de 6,4 pontos.

Diferença entre aprendizagem de alunos mais pobres e mais ricos no 3° ano do Ensino Médio

Língua portuguesa:

Ceará
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 292
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 254
Diferença: 38
Brasil
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 298
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 255
Diferença: 43

Matemática no 3° ano
Ceará
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 297
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 255
Diferença: 42
Brasil
Média de estudantes com maior nível socioeconômico: 307
Média de estudantes com menor nível socioeconômico: 255
Diferença: 52


Apesar do resultado abaixo da média nacional, Rogers Mendes, considera os resultados obtidos nesta etapa significativos. O gestor da educação no Estado pontua o maior avanço das médias no Ensino Médio desde o início da avaliação no País. O desafio, segundo Rogers, é regularizar o processo de alfabetização para todas as idades seguintes, assim como é feito na educação básica. Além de ter um acompanhamento mais direto com cada estudante, que, segundo o secretário, tem sido possível com professores auxiliando turmas específicas, para identificar as qualidades e os desafios de cada uma.

"É preciso um projeto pedagógico que seja consiste para identificar as dificuldades de cada um. Para ser uma escola para todos, também precisamos ser ser uma escola para cada um. A rede estadual avalia e diagnostica de aluno por aluno suas limitações suas fortalezas, para entender como potencializar isso", pontua Rogers.

Compare o progresso ao longos das últimas edições do Saeb na avaliação da Educação Básica do Ceará:

3° ano do Ensino Médio

2011: 269
2013: 264
2015: 267
2018: 268

9° ano do Ensino Fundamental

2011: 245
2013: 246
2015: 252
2018: 258

5° ano do Ensino Fundamental

2011: 191
2013: 196
2015: 208
2018: 215

No total, 5,4 milhões de estudantes de 70 mil escolas entre públicas e privadas foram avaliados. O Nordeste foi a região com maior participação propocional de estudantes, 1.600.653, representa 79,38%. O previsto era que 2.016.432 fizessem a prova. Os resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) integram o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que abrange além do desempenho no Saeb, o fluxo escolar.

(O Povo)

 

Expresso CE - Interna Inner