Comércio é fechado por ordem de facções em Fortaleza; SSPDS silencia

Moradores de alguns bairros de Fortaleza e de Maracanaú, Chorozinho, Pacajus e Caucaia, foram avisados para que fechassem os estabelecimentos comerciais, bem como escolas e agências bancárias nesta segunda-feira (7) e terça-feira (8). Esse é mais um capítulo da onda de terror que atinge o Ceará desde a última quarta-feira (2).

Segundo a polícia, uma varredura está sendo feita nos locais para a retirada dos avisos. A população, receosa, está obedecendo as ameaças.

No Jangurussú, comércios amanheceram fechados. Numa escola estadual, o cartaz também foi encontrado e está com as aulas suspensas.

No Sítio Estrela, a situação se repete. Por lá, o posto de saúde também não abriu. Uma viatura da Polícia Militar está no local. O aviso também foi registrado no bairro Sapiranga.

Em Maracanaú, nos bairros Acaracuzinho e Novo Oriente, o aviso se repetiu em vários pontos. Equipes do Raio, da Polícia Militar, estão no local. De acordo com a PM, uma varredura está sendo feita pelo local para a retirada desse material. 

No comunicado deixado por vários pontos dos bairros, os bandidos avisam aos donos de estabelecimentos comerciais, para não abrirem as portas nesta segunda (7) e terça-feira (8), pois o objetivo é explodir bancos.

Por isso, também dizem para que a população não se dirija a estes locais. Apenas igrejas foram liberadas, segundo o aviso.

Os criminosos também avisaram para que não circule nenhum caminhão de entregas ou carros da Cagece, Coelce, ônibus ou transporte de qualquer outra empresa pelo local. Caso a ordem de paralisação não seja seguida, “terá sua punição merecida.” A rotina voltaria ao normal somente na quarta-feira (9).

Ainda de acordo com o aviso, os criminosos justificam as ações pedindo a saída do secretário de Administração Penitenciária, e avisando que os ataques não vão parar até que ele deixe a pasta. As ações iniciaram após as declarações do secretário Luís Mauro Albuquerque, de que não reconhecia facções criminosas e que faria mudanças no sistema prisional, com mais rigidez sobre os presos.

Em coletiva de imprensa, o secretário da Segurança Pública, André Costa, afirmou que a polícia não vai recuar aos atentados.

(Tribuna do Ceará)

Expresso CE - Interna Inner