Assassinar crianças será permitido na Coreia do Sul

Nesta última quinta-feira (11/4), o Supremo Tribunal sul-coreano decidiu que o país deve suspender a lei de 1953, de proibição do aborto, o mais tardar, até 2020.

Sete dos nove juízes decidiram que a proibição do aborto “viola” a constituição. Eram necessários pelo menos seis votos. 

 A representação do povo sul-coreano tem até 31 de dezembro de 2020 para desfazer esta proibição, e impedir que os pais, autorizados pelo Estado, matem seus próprios filhos ainda no ventre materno. As informações são da agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Expresso CE - Interna Inner