Grupo de médicos de Juazeiro do Norte pede demissão

Nove médicos que atuavam na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Juazeiro do Norte, na Região do Cariri cearense, pediram demissão e não estão mais realizando atendimentos e consultas desde a última quarta-feira (4). Eles alegam atrasos salarias. A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, que está no município para acompanhar o caso das demissões e tentar negociar a situação.

De acordo com nota emitida pela Prefeitura de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria da Saúde, a gestão municipal aguarda repasse financeiro do Ministério da Saúde para realizar o pagamento ao Instituto Médico de Gestão Integrada (Imegi), empresa que gere a UPA e administra os salários dos profissionais. 

As demandas dos médicos, conforme o sindicato, são “reajuste salarial e a manutenção de um médico plantonista extra para completar a escala de plantões com ocorrência de superlotação”.

A Secretaria de Saúde de Juazeiro afirmou que "está dando o apoio necessário para que os serviços à população não sejam prejudicados, inclusive com manutenção de plantonista extra no local".

A Prefeitura de Juazeiro do Norte confirmou que 26 equipes de Saúde da Família estão sem médicos, mas destacou que os postos de saúde não pararam de funcionar e que estão contando com suporte de profissionais das demais áreas.

(G1)

Expresso CE - Interna Inner