Ceará exporta US$ 537,4 milhões e bate recorde

O Ceará exportou US$ 537,4 milhões em produtos para o exterior no primeiro trimestre de 2019, um crescimento de 10% em comparação com o mesmo período do ano passado. 

O montante representa um recorde para o primeiro trimestre. A informação é do relatório Ceará em Comex (Comércio Exterior), da Federação das Indústrias do Estado (Fiec).

Outro indicador que confirma o avanço cearense é o aumento da participação do Estado nas exportações do Nordeste, saltando de 8,45% em 2015 para 15,16% em 2019. 

Já em comparação com o Brasil, o Ceará continua pouco significativo. O Estado é responsável por apenas 1,02% de tudo o que o país exporta e ocupa a 14ª posição no ranking dos estados.

São Gonçalo do Amarante, responsável por mais da metade de tudo que o Ceará exporta, registrou um aumento de 13,7% em relação a 2018, contabilizando US$ 288,1 milhões, e tem como principal produto as placas de aço produzidas na siderúrgica local.

Em segundo lugar, Sobral, líder nacional na exportação de calçados, registrou aumento de 15,5% no período, chegando à marca de US$ 56,7 milhões. Já Caucaia saltou de US$ 10,9 milhões no primeiro trimestre de 2018 para US$ 53,1 milhões no primeiro trimestre de 2019.

Na sequência, Fortaleza (US$ 39,9 milhões), Maracanaú (US$ 21,4 milhões), Aquiraz (US$ 14,2 milhões) e Uruburetama (US$ 11,9 milhões). 

Em relação aos principais segmentos exportados pelo Ceará em 2019, o de ferro e aço mantém a liderança. Os setores de frutas, couros e algodão registraram quedas de 25,3%, 21,6% e 2,5% respectivamente. Os peixes e crustáceos cearenses, liderados pelas lagostas, foram exportados para 31 países no primeiro trimestre de 2019 e contabilizaram US$ 11,9 milhões, valor 132,7% maior do que o do ano passado.

As pás e aerogeradores de energia eólica assumiram a posição de segundo produto mais exportado pelo Ceará, nos três primeiros meses do ano. Os produtos eólicos ultrapassaram os calçados de borracha e as castanhas de caju e registraram US$ 48,7 milhões exportados. Os calçados mantêm sua importância no ranking, pois dos dez maiores produtos, três são do ramo calçadista. A cera de carnaúba, quinto maior produto na lista, exibiu aumento de 61,4%, totalizando US$ 23,1 milhões. O Ceará tem exportado bastante querosene de aviação em 2019. Esse produto, com um total de US$ 7,3 milhões ocupa a décima posição.

No acumulado de janeiro a março de 2019, 121 países foram destinos das exportações cearenses. Estados Unidos (37,07%) e Itália (14,25%) abarcam mais da metade desse total, com US$ 199,2 milhões e US$ 76,6 milhões, respectivamente.

As importações permanecem em queda, totalizando nos três primeiros meses de 2019 US$ 473,8 milhões. Esse valor é 22,7% inferior ao do ano passado. A performance garantiu um superávit de US$ 63,6 milhões na balança comercial cearense.

(Com Focus)

Expresso CE - Interna Inner