Exportações do agronegócio ultrapassam US$ 100 bilhões em 2018

A economia brasileira passa por grandes desafios em 2019, mas alguns setores demonstram uma possível retomada do nível de atividade. As exportações do agronegócio, por exemplo, atingiram o valor recorde nominal de US$ 101,69 bilhões em 2018, com crescimento de 5,9% em relação aos US$ 96,01 bilhões exportados em 2017. O recorde anual anterior ocorreu em 2013, quando o país exportou US$ 99,93 bilhões em produtos do setor.

De acordo com a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as vendas para a China explicam o comportamento da balança do agro. As exportações para o país aumentaram US$ 9 bilhões. O valor supera o aumento US$ 5,67 bilhões registrado no mercado externo de alimentos como um todo.

Já o comércio de carne bovina in natura atingiu volume recorde na série histórica iniciada em 1997. No ano passado, foram exportadas 1,35 milhão de toneladas (+12,2%). Foram vendidas para a China 322,3 mil toneladas com acréscimo de 111,1 mil toneladas em relação a 2017.

De acordo com o CEO da VMX Agropecuária, Carlos Cesar Floriano, o setor agropecuário representa bem a economia nacional e o otimismo continua para 2019. “Realmente os números conquistados em 2018 foram expressivos e acreditamos que todo o investimento em tecnologia será capaz de produzir bons resultados neste ano”, avalia.

O mercado cada vez mais exige profissionalização do setor em parâmetros internacionais. Principalmente com tecnologias que garantem maior produtividade das fazendas e frigoríficos. “No segundo semestre de 2018 de um total de 3.169 fêmeas inseminadas, conseguimos uma taxa de 85,4% de sucesso. Índices como esse só são possíveis graças ao investimento em tecnologia”, explica Carlos Cesar Floriano.

Soja

No complexo soja, o grão foi o principal produto exportado com volume recorde de 83,6 milhões de toneladas. Segundo o boletim da Secretaria, o incremento na quantidade exportada não ocorreria sem a forte demanda chinesa. O consumo chinês cresceu de 53,8 milhões de toneladas, em 2017, para 68,8 milhões de toneladas, em 2018, com aumento de 15 milhões de toneladas de soja em grãos.

Outro produto que teve desempenho favorável, nos últimos 12 meses, foi a celulose, dentro do segmento de produtos florestais. A celulose obteve valor recorde de US$ 8,35 bilhões (+31,5%), também, em quantidade, chegando a 15,3 milhões de toneladas (+10,6%). Também a demanda chinesa explica em grande parte esse incremento. O país asiático aumentou as aquisições para 6,5 milhões de toneladas de celulose em 2018 (+20%).

A participação do Agronegócio representou 42,4% do total das vendas externas brasileiras no ano. As importações do agro registraram retração de 0,8%, somando US$ 14 bilhões. Como resultado, o saldo da balança comercial do setor foi de US$ 87,6 bilhões (+7,1%).


Expresso CE - Interna Inner