Pesquisa mostra que americanos querem guerra contra Irã

Os norte-americanos estão cada vez mais críticos em relação à forma como o presidente dos EUA, Donald Trump, está tratando a questão do Irã. 

Segundo pesquisa elaborada pela Reuters/Ipsos, divulgada nesta terça-feira (7/1), 53% dos dos adultos do país esperam agora uma guerra em um futuro próximo entre as duas nações e desaprovam o tratamento de Trump com relação ao Irã. 

A pesquisa recente apresenta um aumento de cerca de 9 pontos percentuais em relação a uma pesquisa semelhante realizada em meados de dezembro do ano passado. 

O número de adultos que “desaprova veementemente” as ações de Trump no Irã —39%— aumentou 10 pontos percentuais em relação à pesquisa de dezembro.

De acordo com a pesquisa, a popularidade geral de Trump permaneceu estável após o ataque que resultou na morte de Soleimani, com 41% de aprovação de seu desempenho no cargo e 54% de desaprovação.

Uma pesquisa separada da Reuters/Ipsos, realizada de 3 a 6 de janeiro, constatou que 41% dos entrevistados consideram o Irã uma "ameaça iminente" para os Estados Unidos, 17 pontos acima de uma pesquisa semelhante realizada em maio de 2019. 

A sondagem também mostrou que 71% dos norte-americanos acreditam que os EUA entrarão em guerra com o Irã nos próximos anos, 20 pontos acima da pesquisa de maio.

Uma minoria crescente de norte-americanos diz que agora é a favor de um “ataque preventivo” a militares do Irã. A pesquisa constatou ainda que 27% disseram que os Estados Unidos deveriam atacar primeiro, um aumento de 15 pontos percentuais em relação a maio. Outros 41% disseram que os Estados Unidos não deveriam atacar primeiro e 33% disseram que não sabem.

A pesquisa Reuters/Ipsos foi realizada online, em inglês, nos EUA e compilou respostas de 1.108 adultos na pesquisa de 6 a 7 de janeiro e 1.005 adultos na pesquisa de 3 a 6 de janeiro. Os resultados têm um intervalo de credibilidade —uma medida de precisão— de cerca de 4 pontos percentuais.

(Reuters)

Expresso CE - Interna Inner