Atingir o melhor de si

Os filósofos gregos antigos reservavam a palavra arete, que se traduz por excelência, àquelas habilidades que tornavam uma pessoa capaz de desempenhar extremamente bem as suas tarefas. Atividades como a de um alfaiate, de um artista, ou de um orador, para serem os melhores no seu ofício, tinham que desenvolver essa arete específica.

Ao nos referirmos à aquisição de conhecimentos, habilidades ou destrezas, sabemos que nos aperfeiçoam, pelo aprendizado, somente em alguns aspectos parciais, tais como: habilidades para comunicar-se, para o cálculo numérico, para a visão espacial, entre outras, porém, estas destrezas apenas redundam em perfeições puramente técnicas, que ao fim e ao cabo, não tornam um homem um melhor ser humano.

Há, não obstante, uma perfeição muito mais profunda que afeta o ser humano integralmente, que corresponde à perfeição do seu núcleo vital: a grandeza de coração.

Desde sempre a questão de fundo foi: o que faz o ser humano ser melhor? Em vez de simplesmente perguntarmos pela excelência do vendedor de automóveis, ou do gerente de empresa enquanto realizam as suas atividades técnicas, estamos perguntando sobre o que se deve buscar para aprimorar a excelência, simplesmente enquanto ser humano. Esta resposta nos dirige diretamente ao ser, à realização do homem, não enquanto algo específico da habilidade de vendedor, da recepcionista, mas do homem enquanto homem, enquanto realiza o seu projeto existencial.

A ciência biológica afirma que entre o homem e o macaco há uma diferença genética mínima, pois não passa de 2%, e, no entanto, a diferença existencial entre um e outro é imensa. O homem é um ser único, porquanto é capaz de dar um sentido ao seu agir, e ter um projeto existencial, que engloba todas as dimensões da sua vida. Os outros animais, por outro lado, têm o instinto que lhes dita o que é bom, ou mau para o seu viver. Já o ser humano necessita exercitar a sua liberdade para atingir o melhor de si, que somente se encontra na prática das virtudes.


Paulo Sertek  

Doutor em Educação pela UFPR, Mestre em Tecnologia e Desenvolvimento pela UTFPR, Engenheiro Mecânico pela Escola de Engenharia Maua (SP).

Diplomado pelo ISE-IESE no Program for Management Development.

Professor do Centro Universitário da Grande Fortaleza – UNIGRANDE


Leia livro do autor: Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível aqui: https://goo.gl/DpKN4b


Expresso CE - Interna Inner