Capitão Wagner será o relator da MP que leiloa bens apreendidos do tráfico

Na tarde desta quarta-feira (10/7), o deputado federal Capitão Wagner, do Pros, foi escolhido o relator da MP 885, que autoriza a venda de bens apreendidos do tráfico. "Ela é muito importante para a segurança pública, e o que for arrecado será destinado para a questão prenitenciária, para a segurança pública".

Wagner pretende apresentar o relatório em agosto, e conseguir a aprovação tanto na Câmara quanto no Senado.

A medida foi assinada em 17 de junho pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

A MP dá à Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) o poder de leiloar esses bens antes do término do processo criminal. A expectativa do governo é que ela facilite a transformação dos produtos em recursos financeiros para custear ações de repressão policial, compra de equipamento, campanhas contra o uso de drogas, atendimento a dependentes químicos, entre outras ações.

O ministério informou que existem atualmente no país 30 mil bens que estão à disposição da União aguardando destinação, depois de terem sido apreendidos em operações de combate ao tráfico de drogas. E que há, ainda um número ainda maior de bens que foram aprendidos e aguardam o término do processo criminal para serem destinados aos leilões. A pasta estima que este número chegue a 50 mil. 

Expresso CE - Interna Inner