Prefeitura anuncia que servidores não terão reajuste

Os servidores municipais de Fortaleza não terão reajuste neste ano, anunciou o prefeito Roberto Cláudio (PDT) à categoria em reunião realizada ontem, no Paço Municipal. A justificativa do gestor é a crise econômica enfrentada pelo País.

O presidente em exercício do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort), Eriston Ferreira, afirmou que a categoria não aceitou a decisão e admite possibilidade de greve caso o prefeito insista em reajuste zero.

Ferreira explica que, desde o dia 9 de dezembro de 2016, a categoria entregou à Prefeitura de Fortaleza a proposta de 13,6% de reajuste, “de reposição da inflação e recuperação de perdas históricas da categoria”.

O prazo para o prefeito se pronunciar sobre a proposta é 1° de janeiro de cada ano, mas RC teria pedido pelo menos até março para apresentar uma posição.

“Por mais que o cenário nacional seja de crise, não é o retrato de Fortaleza. O prefeito nos mostrou que a folha de pagamento não é nem metade dos gastos da Prefeitura, então o reajuste poderia ser concedido sem que atingisse o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)”, argumenta o sindicalista.

Ajuda de custo

O presidente do Sindifort lembrou ainda de ajuda de custo aos secretários municipais aprovada na Câmara Municipal na última terça-feira. “Para o servidor é austeridade, arrocho, mas pro grupo politico do prefeito, não tem crise, tem dinheiro sobrando”, criticou.

Roberto Cláudio, porém, rebate que não é a perspectiva de crescimento da economia nem a possibilidade de assumir esse compromisso com os servidores.

“A Prefeitura, ao longo desses quatro anos, garantiu o pagamento do reajuste na inflação, fez concursos públicos, estabeleceu planos de cargos e carreiras, trouxe benefícios para muitas carreiras. Entretanto, este é um ano atípico, que não só a gente não tem perspectiva de melhoria da economia, como há um cenário político que não sinaliza possibilidades de a Prefeitura estabelecer compromisso de gastos com a garantia de que possa honrá-los”, disse.

“Nosso grande compromisso é pagar os servidores em dia ao longo deste ano e antecipar, como temos feito, ano a ano, o pagamento antecipado de metade do décimo terceiro para o meio do ano”, completou o gestor.

Protesto

Em assembleia realizada ontem, o Sindifort marcou protesto para o próximo dia 13 de junho, a partir das 8 horas, em frente ao Paço Municipal.

Segundo Ferreira, a categoria deve se reunir em assembleia geral após o ato e pode optar por nova greve, caso RC não reconsidere a proposta de reajuste.

(O Povo)